Desabafos... (Off-TopiC)

Discussão de filmes; a arte pela arte.

Moderator: waltsouza

Post Reply
User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Desabafos... (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Thu Mar 10, 2016 2:12 pm

JoséMiguel wrote:
Nota: Mais um desabafo pessoal off-topic, mas realmente faz falta um tópico geral para este tipo de desabafos, fica a sugestão para o Walt criar um. :wink:
Acho que é uma excelente sugestão (em forma de nota) do José Miguel :-D . Não que isso acabe com o off-topic.e nem é bem isso que se pretende, o off-topic faz parte de um fórum, desde que não se desviem muito do tema de um tópico, mas faz realmente falta um sitío aqui dentro para haver mais liberdade opinativa e de expressão sobre cinema. Um tópico que esteja acima de todos os outros, mas que ao mesmo tempo os possa complementar.

Seja "desancar" no cinema de Holywood, seja trazer uma opinião mais vincada sobre o atual estado do cinema português, seja a falar sobre um ator ou uma atriz, um realizador, um certo filme, no fundo falar sobre cinema, seja o que for, sem seguir nenhuma linha temática em especial. E isso obviamente já vai depender do que cada um de vocês quiser trazer para aqui. Nem que seja apenas um ato de despero cinéfilo em forma de desabafo. Alguma coisa que vos está a mexer com os neurónios e que precisam (urgentemente) de exteriorizar. :-)))

Portanto, e resumindo, aqui quem é "Rei e Senhor" é o nosso tão utilizado offtopic. Aproveitem-no. yes-)

Mas atenção, reforço que este tópico não aparece para tentar acabar com o off-topic nesta seção. Digamos que pode até servir de complemento para todos os outros tópicos. Portanto, uma (boa) discussão off-topic pode começar noutro tópico, e pode terminar aqui. Não que isso seja obrigatório, isso já é algo que ficará ao vosso critério. :wink:

User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Thu Mar 10, 2016 4:20 pm

Vamos lá "inaugurar" o tópico.
Remake de «O Justiceiro da Noite» terá Bruce Willis

Image

O filme original Death Wish (O Justiceiro da Noite, 1974) com Charles Bronson terá um remake, contando com o ator Bruce Willis no papel principal. O filme será realizado pelo duo israleita Aharon Keshales e Navot Papushado, os autores de Big Bad Wolves, será produzido por Roger Birnbaum, produtor de Stark Trek (2009) e terá argumento assinado por Joe Carnahan (The Grey - A Presa), Dan Gilroy (Nightcrawler - Repórter na Noite) e Graham Yost (Speed - Perigo a Alta Velocidade).

O Justiceiro da Noite foi uma produção de Dino de Laurentiis e teve a realização de Michael Winner. Feito por 3 milhões de dólares, viria a arrecadar 22 milhões nas bilheteiras. Foi criticado na altura por suportar o vigilantismo. Nesta obra, Paul Kersey vê-se forçado a fazer justiça pelas próprias mãos, depois da sua filha ser violada e a mulher assassinada, tendo dado origem a 4 sequelas.

http://www.c7nema.net/casting/item/4497 ... 3H2Cl.dpuf

Vamos lá dizer mal deste "remake" de Death Wish. Quer dizer, a escolha de Bruce Willis até é interessante, ou não? :badgrin:

User avatar
DarkPhoenix
DVD Maníaco
DVD Maníaco
Posts: 3966
Joined: Fri Feb 13, 2004 2:58 pm
Location: Norte

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by DarkPhoenix » Thu Mar 10, 2016 6:07 pm

E dizer bem, também se pode?

User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Thu Mar 10, 2016 9:39 pm

DarkPhoenix wrote:E dizer bem, também se pode?
Bem ou mal. Pode-se por exemplo questionar se faz sentido um "remake" de "Death Wish".
Já lá vão 41 anos desde do primeiro filme. Acho curiosa, tanto a escolha dos realizadores, como a de Bruce Willis.

Já agora uma info curiosa da Wikipedia
In 2006, Sylvester Stallone announced that he would be directing and starring in his Death Wish remake of the 1974 classic. Stallone stated:

“I’d like to get your feedback on the idea of remaking DEATH WISH with a slightly different slant”, Sly begins, “Instead of the Charles Bronson character being an architect; my version would have him as a very good cop who had incredible success without ever using his gun. So when the attack on his family happens, he’s really thrown into a moral dilemma in proceeding to carry out his revenge.”[3][4]

On December 20, 2006, however, Stallone officially announced that he will not be making the Death Wish remake, but there are still more crew and ideas on doing the remake of the 1974 classic movie.[5]

In late January 2012, The Hollywood Reporter stated that a remake was confirmed and would be written and directed by Joe Carnahan.[6] Carnahan left the film in 2013 and director Gerardo Naranjo was then attached to the project. This version also never came into fruition.

In March 2016, Paramount and MGM announces Aharon Keshales & Navot Papushado will direct the remake with Bruce Willis starring.[7]
Dos israelitas Aharon Keshales & Navot Papushado vi o primeiro filme deles "Kalevet" de 2010 (e gostei), falta-me ver "Big Bad Wolves".

User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Fri Mar 11, 2016 11:37 am

Um olhar sobre o filme Death Wish de 1974

FRANCHISE ME: Death Wish


.Hollywood loves a good franchise. The movie-going public does too. Horror, action, comedy, sci-fi, western, no genre is safe. And any film, no matter how seemingly stand-alone, conclusive, or inappropriate to sequel, could generate an expansive franchise. They are legion. We are surrounded. But a champion has risen from the rabble to defend us. Me. I have donned my sweats and taken up cinema’s gauntlet. Don’t try this at home. I am a professional.

The Franchise: Death Wish — following the on-going killing spree of Paul Kersey, a liberal pacifist architect who is transformed into a gun-toting vigilante after his family is attacked by muggers. The series stretched over five films from 1974 to 1994.

The Installment: Death Wish (1974)

Image


FRANCHISE ME: Death Wish




.

The Franchise: Death Wish — following the on-going killing spree of Paul Kersey, a liberal pacifist architect who is transformed into a gun-toting vigilante after his family is attacked by muggers. The series stretched over five films from 1974 to 1994.

The Installment: Death Wish (1974)

Punks Dealt Bronson Justice: 8

The Story: Paul Kersey (Charles Bronson) is a happy family man, with a lovely wife, Joanna (Hope Lange), and a daughter, Carol (Kathleen Tolan). He’s an architect with liberal views and sympathy for the lower classes. He’s also a pacifist who hasn’t touched a gun since childhood, and was a conscientious objector during the Korean War. But everything changes when Joanna and Carol are followed home from the grocery store by three dirty punks (one of whom is a young Jeff Goldblum) who beat and rob them. Joanna dies and Carol is so traumatized she becomes catatonic. When Kersey is given a handgun by a business associate as a present, the former pacifist finds new purpose blowing the shit out of muggers on the street. Referred to by the press as “the vigilante,” Kersey becomes a major problem for the NYPD, and the investigator in charge of the case, Lt. Frank Ochoa (Vincent Gardenia).

Image

What Works: Pretty much everything. This is one of the greats in gritty street-crime exploitation cinema, mainstream or otherwise. Though obviously existing in the influential wake of Dirty Harry, Death Wish started its own subgenre – the citizen vigilante – not to mention Charles Bronson forming his own cottage industry within that subgenre. And though Bronson isn’t what makes this film, he is obviously a major factor. 53. That’s how many motherfucking years old Bronson was when he made this film, which is pretty amazing when you consider that there are twenty more years left to this franchise. But his age works wonders for the material. Of the box office action stars at the time, I’m not sure any would have been as effective as Bronson. The film is based on a novel by Brian Garfield (who apparently hated the film), and was originally going to be directed by Sidney Lumet with Jack Lemon as Kersey, and I think that almost-was casting certainly paints what kind of character Kersey is. He’s not an Eastwood or a McQueen. And while Bronson was obviously a manly man (the film’s opening beach scene demonstrates his impressive state of fitness), his fleshy face, droopy eyes, and compounding age give him a very un-movie-star look. I buy him as just some dude long enough to make his transformation into vigilante badass feel almost surprising. And then of course there is Bronson’s weird oft-parodied speaking voice, which makes every other line he says immediately quotable even if there is nothing particularly interesting about the content of what he just said. Just hearing him say “No” puts a smile on my face.

The other stand-out performance of the film is Vincent Gardenia as Lt. Ochoa. Ochoa is a great character. I love that he’s neither corrupt nor do-gooder. He’s determined to find the Vigilante, and is quite clever about it. But the moment City Hall says they don’t want the Vigilante arrested, Ochoa says, “Sure. You’re the boss.” He won’t kill the Vigilante, but he’s more than happy to ask him to leave town. It is a very believable balance for the character to have. And Gardenia makes you love the man, with his droll delivery, bemused bearing, and periodic sneezing.

The score by Herbie Hancock is, well, a score by Herbie Hancock. That’s something in and of itself, especially in 1974. Part jazz, part funk, part traditional score, it is all mid-70’s awesome.

Speaking of the 70’s, even though the factor of my age will always leave me with a proclivity for 80’s genre and action cinema, I love the tone of 70’s crime films. The firm roots these films have in the naturalistic stylistics and realistic character sketches popular at the time always makes their departure from reality all the more fun. Death Wish is a ridiculous movie. The heightened level of crime and the absurd behavior of the criminals is laughable, yet set against the otherwise respectfully authentic details of the film it works in a beautiful harmony of movie yumminess.

I don’t think Michael Winner is anything more than a quality journeyman director, but he handles the material well and makes some good aesthetic choices (unless you prefer Garfield’s novel, I suppose). I particularly liked the bleak snow storm setting for Joana’s funeral, which is then nicely off-set by Kersey’s trip to sunny Arizona. And Winner certainly doesn’t shy away from brutality. The attack on Joana and Carol is almost baroque. One of the punks is casually, rather absentmindedly spray-painting graffiti in the Kersey apartment while the other two brutalize the two women. This culminates in the indelible image of Carol getting her bare ass spray-painted. It is such a weird moment. Almost funny. Actually it is funny, but then that’s what makes it so effectively disquieting. Winner understands that we need to hate these guys and what they did to be able to support Kersey turning to the dark side. And though the moment really belongs to Bronson, I loved the small but meaty moment when Kersey freaks out – releasing all his adrenaline – alone in his apartment after bashing a mugger in the face with a sock full of quarters. That’s some good Bronson right there.

Thematically, I love the film’s allegorical relationship to Westerns. When Kersey is in Arizona he witnesses an ‘Old West’ tourist show recreating a foiled bank robbery. As Kersey watches the actors playing “good guys” gun down the actors playing the robbers, the look on Bronson’s face tells us a million things. A switch has been flipped and as the film progresses we realize Kersey is now living out a cowboy-justice fantasy in the streets of New York. Though the film doesn’t directly address it, Kersey has gone batshit crazy. This finally rises to the surface when, badly injured, Kersey demands that a punk “Draw.” It also feeds into the amazing ending of the film, when Lt. Ochoa tells Kersey he needs to leave New York permanently, and Kersey smirks excitedly, asking, “Inspector… By sundown?” Speaking of the amazing ending, the final shot of Death Wish practically makes the entire movie. We think Kersey is going to go to Arizona, as the location has been mentioned repeatedly throughout the film, but then we cut to him arriving in Chicago. Kersey happily watches a gang of punks harass a young woman. If there was any doubt as to whether the look on his face was joy, when the punks make lewd gestures towards Kersey while he’s helping the woman pick up her belongings, Bronson makes this face…

Image

…letting us know that the ‘Old West’ is now alive in Chicago. He’s basically become The Punisher.

What Doesn’t Work: It’s hard to say anything “doesn’t work,” as Death Wish is one of those warts-and-all films that is made even more fun by its flaws. But it certainly isn’t perfect. The threat level of New York is established somewhat hamfistedly, and the criminals themselves are all cartoonishly over-the-top. At no point do Goldblum and his flunkies feel like real people. Their behavior is too heightened, which inherently renders everything they touch with a thick B-movie feel. None of the punks in the film feel very believable. For one thing, the entire city knows there is a vigilante going around shooting muggers, yet none of the muggers seem aware of this. Even just a small hint of their awareness would have gone a long way towards establishing the reality of this world. But none of this ever threatens to sink the film.

The only aspect of the film I found legitimately lacking or problematic was Carol. My suspension of disbelief was wildly strained by her catatonic state. I make no claims that I’m an expert on trauma, and I know cases of military “shell shock” do exist, but I just didn’t buy it within this context. As silly as the film could be at times, this was too B-movie melodramatic for me. Getting beaten up turned her into a vegetable? Even if that can happen, I wouldn’t have put that in the film. A lot of things can happen. I found myself wishing that Carol had just died to make things simpler.

The most bizarre aspect of this film is that Kersey never encounters or even tries to track down the three muggers who killed his wife. This, I think, is one of the many things that makes the film unique and interesting, but this may have something to do with why novelist Garfield didn’t like the film, because Winner and Bronson definitely paint Kersey in a strong hero light, but the abstract execution of his vengeance removes any semblance of moral justice from his actions (I have to assume Garfield painted a less noble and cheer-worthy Kersey). Really, if we’re analyzing this, Kersey just becomes a total psychopath. I wonder if the title Death Wish made more sense in the novel. In the film Kersey doesn’t have a death wish – that would have been an entirely different concept for a film. He wants to kill people, and he wants to keep staying alive so he can kill more people. Objectively the film probably should’ve been called Vigilante or something. Anyway, nothing in this paragraph is actually a criticism of the film. Merely me musing.

Image

Most Egregious Punk Moment: Definitely the ass spray-painting.

Most Egregious Bronson Moment: The first time he chases down a punk and shoots them in the back. That’s when Kersey officially crosses the line.

Best Punk Dialogue: “Cunts! I kill rich cunts!” Said by Jeff Goldblum to Joanna Kersey.

Was Justice Satisfactorily Handed Out: Not at all. Goldblum and his two buddies are probably still out there spray-painting girls’ asses right now.

Should There Have Been A Sequel: That ending really gooses the idea of one, leaving things extremely open-ended. Definitely feels like there is more to tell of Kersey’s journey.

Up Next: Death Wish 2


http://www.chud.com/49456/franchise-me-death-wish/

User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Fri Mar 11, 2016 11:58 am

Ando a "desenterrar" o passado deste fórum. :biggrin:

Realmente já se falava do "remake" de Death Wish há uns anos, até por aqui.

viewtopic.php?f=11&t=36598&p=449166&hil ... sh#p449166

Reparem na lista feita em 2008

Rosemary's Baby - 2010 (Roman Polansky, 1964)
Battle Royale - 2008 (Kinji Fukasaku, 2000)
The Shadow - 2010 (Russell Mulcahy, 1994)
The Last Starfighter - 2010 (Nick Castle, 1984)
Evil Dead - Produtores: Sam Raimi e Bruce Campbell, Argumento: Sam Raimi (Sam Raimi, 1981)
Death Wish - 2009 (Michael Winner, 1974)
Logan's Run - 2010 (Michael Anderson, 1976)
Fahrenheit 451 - 2010, Realizador: Frank Darabont (François Truffaut, 1966)
Hellraiser - 2009 (Clive Barker, 1987)
Tron - 2010 (Steven Lisberger, 1982)
Clash Of The Titans - 2010, Realizador: Stephen Norrington (Desmond Davis, 1981)
The Birds - 2010, Realizador : Martin Cambpell (Alfred Hitchcock, 1963)
Meatballs - 2010, Realizador : John Whitesell (Ivan Reitman, 1979)
Porky's - 2009 (Bob Clark, 1982)
Red Sonja - 2008 (Richard Fleischer, 1985)
The Dirty Dozen - 2010 (Robert Aldrich, 1967)
Footloose - 2008 (Herbert Ross, 1984)
Dune - 2010, Realizador : Peter Berg (David Lynch, 1984)
The Thing - 2009,Realizador : Ronald D Moore (John Carpenter, 1982)
Fame - 2009, Realizador : Andy Finkman (Alan Parker, 1980)


E cá está o tópico do suposto "remake" que era para ser feito por Stallone. Fomos todos enganados. :lol:

viewtopic.php?f=11&t=34515&p=418141&hil ... sh#p418141

No Angel
Especialista
Especialista
Posts: 1478
Joined: Mon Apr 02, 2012 9:58 pm

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by No Angel » Fri Mar 11, 2016 7:24 pm

Eu acho que o cinema está a passar por uma grave crise de originalidade, mas grave mesmo. Aliás, eu vejo muito mais eps de séries do que filmes, porque simplesmente o cinema está desinteressante... talvez o problema seja meu, não sei mas acho que a Televisão está numa excelente fase, enquanto que o Cinema está numa má fase. Além de que numa série apegamo-nos mais as personagens e dá para as desenvolver mais, mas isso tem a ver com o formato das séries....

User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Fri Mar 11, 2016 7:36 pm

No Angel wrote:Eu acho que o cinema está a passar por uma grave crise de originalidade, mas grave mesmo. Aliás, eu vejo muito mais eps de séries do que filmes, porque simplesmente o cinema está desinteressante... talvez o problema seja meu, não sei mas acho que a Televisão está numa excelente fase, enquanto que o Cinema está numa má fase. Além de que numa série apegamo-nos mais as personagens e dá para as desenvolver mais, mas isso tem a ver com o formato das séries....
Calma, o cinema de "Hollywood" não repesenta todo o cinema que é feito (nem coisa que se pareça), embora gastem muito mais dinheiro em marketing, e seja um cinema muito mais "presente" do que qualquer outro. Mas ainda existe o cinema "indie", mesmo o americano, o cinema europeu, existem muitas filmografias que vale a pena conhecer. Acho que é um pouco redutor estar a afirmar que "todo" o cinema está desinteressante, e a passar por uma crise de originalidade.

Mas é como diz o DarkPhoenix, só vê cinema baseado em "fórmulas", "remakes", "reboots" e afins, quem quer. Felizmente ainda existe cinema para além disso, temos é que saber procura-lo, porque algum desse cinema passa mais despercebido. Não tem uma indústria, e uma "máquina" montada para o publicitar e fazê-lo chegar a todo o lado. Muitas vezes temos que ser nós a ir ao encontro dele. :wink:

No Angel
Especialista
Especialista
Posts: 1478
Joined: Mon Apr 02, 2012 9:58 pm

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by No Angel » Fri Mar 11, 2016 7:52 pm

waltsouza wrote:
No Angel wrote:Eu acho que o cinema está a passar por uma grave crise de originalidade, mas grave mesmo. Aliás, eu vejo muito mais eps de séries do que filmes, porque simplesmente o cinema está desinteressante... talvez o problema seja meu, não sei mas acho que a Televisão está numa excelente fase, enquanto que o Cinema está numa má fase. Além de que numa série apegamo-nos mais as personagens e dá para as desenvolver mais, mas isso tem a ver com o formato das séries....
Calma, o cinema de "Hollywood" não repesenta todo o cinema que é feito (nem coisa que se pareça), embora gastem muito mais dinheiro em marketing, e seja um cinema muito mais "presente" do que qualquer outro. Mas ainda existe o cinema "indie", mesmo o americano, o cinema europeu, existem muitas filmografias que vale a pena conhecer. Acho que é um pouco redutor estar a afirmar que "todo" o cinema está desinteressante, e a passar por uma crise de originalidade.

Mas é como diz o DarkPhoenix, só vê cinema baseado em "fórmulas", "remakes", "reboots" e afins, quem quer. Felizmente ainda existe cinema para além disso, temos é que saber procura-lo, porque algum desse cinema passa mais despercebido. Não tem uma indústria, e uma "máquina" montada para o publicitar e fazê-lo chegar a todo o lado. Muitas vezes temos que ser nós a ir ao encontro dele. :wink:
Sim claro, e eu de vez em quanto descubro pérolas! Apenas falei no geral, no cinema mais comercial... claro que no cinema independente e/ou europeu ainda se encontram bons filmes. Mas já de há uns tempos pra cá que me interesso mais por televisão do que por cinema, mas isso talvez seja apenas uma preferência minha.

Simplesmente cansa-me estarem sempre com filmes de super herois, filmes biblicos, filmes sobre o Antigo Egipto,filmes sobre a 2ª guerra mundial e o Holocausto, é sempre a mesma coisa constantemente.... Estou a espera que façam um filme sobre os Cataros a séculos e nada, porque?! Tanta coisa nova por explorar e batem sempre na mesma tecla. Que tal um filme sobre a Babilônia?! Há coisas novas que podem explorar, mas falam sempre do mesmo! Precisamos mesmo do 154226º filme sobre o Holocausto?! E precisamos mesmo do 548556º filme de super herois, que tem sempre a mesma história e estrutura?! Cansa...

Se alguem souber de bons filmes sobre os Cataros e a Babilonia que me recomendem, agradecia...

User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Fri Mar 11, 2016 8:06 pm

No Angel wrote:Estou a espera que façam um filme sobre os Cataros a séculos e nada, porque?! Tanta coisa nova por explorar e batem sempre na mesma tecla. Que tal um filme sobre a Babilônia?! Há coisas novas que podem explorar, mas falam sempre do mesmo!

Se alguem souber de bons filmes sobre os Cataros e a Babilonia que me recomendem, agradecia...

Slaves of Babylon (1953)

http://www.imdb.com/title/tt0046328/?ref_=fn_al_tt_1

Não deve ser bem isto que andas à procura mas realmente não deve existir muita coisa sobre a "Babilónia", por exemplo.
E repara que quem está novamente por trás é "Hollywood", neste caso a "Columbia Pictures". É um filme com mais de 50 anos mas já a "cores". A votação no imdb.com é mediana mas tb tem poucos votos.

William Castle, o realizador desse filme, tem filmes conhecidos, 13 Ghosts (1960), que veio mais tarde dar origem a um "remake", feito em 2001, e House on Haunted Hill (1959), que, como não podia deixar de ser, deu origem a outro "remake" de 1999.

No Angel
Especialista
Especialista
Posts: 1478
Joined: Mon Apr 02, 2012 9:58 pm

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by No Angel » Fri Mar 11, 2016 8:13 pm

waltsouza wrote:
No Angel wrote:Estou a espera que façam um filme sobre os Cataros a séculos e nada, porque?! Tanta coisa nova por explorar e batem sempre na mesma tecla. Que tal um filme sobre a Babilônia?! Há coisas novas que podem explorar, mas falam sempre do mesmo!

Se alguem souber de bons filmes sobre os Cataros e a Babilonia que me recomendem, agradecia...

Slaves of Babylon (1953)

http://www.imdb.com/title/tt0046328/?ref_=fn_al_tt_1

Não deve ser bem isto que andas à procura mas realmente não deve existir muita coisa sobre a "Babilónia", por exemplo.
E repara que quem está novamente por trás é "Hollywood", neste caso a "Columbia Pictures". É um filme com mais de 50 anos mas já a "cores". A votação no imdb.com é mediana mas tb tem poucos votos.

William Castle, o realizador desse filme, tem filmes conhecidos, 13 Ghosts (1960), que veio mais tarde dar origem a um "remake", feito em 2001, e House on Haunted Hill (1959), que, como não podia deixar de ser, deu origem a outro "remake" de 1999.
Não conhecia, mas pelo que vejo é um filme raro e encontra-lo legendado em português deve ser quase impossivel...

User avatar
waltsouza
Moderador
Posts: 3698
Joined: Sat Mar 19, 2005 8:26 am
Location: Sobreda, Terra dos cães e dos gatos
Contact:

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by waltsouza » Fri Mar 11, 2016 8:22 pm

No Angel wrote:
Não conhecia, mas pelo que vejo é um filme raro e encontra-lo legendado em português deve ser quase impossivel...
Pois, sobre legendas em português não posso ajudar-te. O que sei é que esse filme anda pelo Youtube.

No Angel
Especialista
Especialista
Posts: 1478
Joined: Mon Apr 02, 2012 9:58 pm

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by No Angel » Fri Mar 11, 2016 8:23 pm

waltsouza wrote:
No Angel wrote:
Não conhecia, mas pelo que vejo é um filme raro e encontra-lo legendado em português deve ser quase impossivel...
Pois, sobre legendas em português não posso ajudar-te. O que sei é que esse filme anda pelo Youtube.
De qualquer forma, obrigado pela sugestão yes-)

JoséMiguel
DVD Maníaco
DVD Maníaco
Posts: 2568
Joined: Tue Aug 30, 2011 9:33 pm
Location: Lisboa

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by JoséMiguel » Sat Mar 12, 2016 5:31 am

Walt, obrigado por teres seguido a minha sugestão. oops:)

Concretamente o que acontecia até agora, é que aqui nesta secção do cinema e filme, eu tinha muita vontade de responder a comentários de outros membros, cujo post original já estava em si a fugir para off-topic, mas acabei por não o fazer pois a minha resposta seria ainda mais off-topic. As excepções foram casos como a discussão recente da moralidade da detonação das bombas atómicas em cidades japonesas, em que eu fui a correr criar um tópico adequado para prosseguirmos a conversa por lá! (a conversa surgiu no tópico dos Óscares, que não tem nada a ver, e o tópico que eu criei era sobre um filme relacionado com a conversa, concretamente o "Fatman and Little Boy").

Dessa vez eu tive aquela trabalheira toda em criar o tal tópico (por sorte, aproveitei um filme que me interessava e já estava na lista para apresentar no DVD Mania), mas no resto da maioria dos casos acabei por não escrever nada... :-(

Com este novo tópico posso ao menos, a partir de agora, evitar que essas situações aconteçam.

Outra utilização interessante, será quando eu descobrir algo de insólito no IMDB e Wikipedia (não me refiro a curiosidades, mas a coisas que me dão vontade de barafustar na negativa, ou que me surpreendem pela positiva), poder partilhar e comentar aqui. Até agora tenho deixado passar certas coisas, por falta de tópico adequado.

JoséMiguel
DVD Maníaco
DVD Maníaco
Posts: 2568
Joined: Tue Aug 30, 2011 9:33 pm
Location: Lisboa

Re: Desabafos sobre Cinema (Off-TopiC)

Post by JoséMiguel » Sat Mar 12, 2016 1:09 pm

Desabafos sobre a saga dos filmes Death Wish com o Charles Bronson...

Parte I: Os Filmes

oops:)

Foi o tema de abertura lançado pelo Walt, e cá venho eu falar das minhas memórias de infância... :oops:

A questão do remake fica para o fim, porque não tem graça nenhuma, perante eu mostrar agora o jogo do ZX Spectrum com as putas, "vestidas à puta, como mandam as regras", e o Charles Bronson lá no meio a disparar a sua caçadeira e a tentar apanhar uma bazooka, para matar mais pessoal...! :o :badgrin: :lol: :twisted:

Obs. Não utilizei o termo "puta" para ofender ninguém, desde os anos 80 que eu reparo que é normal alguns colunistas de jornais como A Capital, O Expresso ou O Público, utilizarem estes termos calões nas suas rúbricas de opinião. Por exemplo eu sou membro de um fórum português de videojogos, em que quando copiei para lá alguns textos do DVD Mania (filmes que tinham a ver com jogos), o meu texto foi logo censurado e vítima de censura moral. O fórum até é engraçado e por isso aceitei essa censura, que vai contra a minha ideologia e princípios morais. Da mesma forma se isto causar algum problema por aqui, não me importo de moderar a linguagem.



Basta espreitarem 2 ou 3 minutos do clip acima, para terem uma ideia do jogo do Spectrum, que eu jogava em 1989, e que é baseado no 3º filme da saga, o Death Wish III.

Aqui está uma breve cena do filme Death Wish III, em que o Charles Bronson está sossegado a jantar, e dá conta que lhe estão a assaltar o seu automóvel... ele sai do prédio e pergunta aos gatunos o que se passa... depois mata-os e continua a jantar... :lol: :-D



Por acaso gostei muito de rever esta cena. :-)

Já antes de em comprar a cassete do spectrum do jogo Death Wish III, o meu pai tinha alugado as cassetes VHS dos três primeiros títulos da saga, que eu vi com ele mas não achei muita graça (eu teria entre 9 a 11 anos de idade quando vi esses 3 filmes), tal como também não achei muita graça à quantidade absurda de filmes do Dirty Harry, que o meu pai fazia questão em alugar. Mas o Spectrum veio uns anos mais tarde na minha vida, e quando jogava ao tal jogo com as putas e o Charles Bronson a disparar a sua caçadeira, lembrava-me dos filmes e até ficava influenciado por eles (os gráficos do Spectrum eram tão maus que um gajo tinha de imaginar cenas do filme, para usufruir e entrar no espírito do jogo).

O que se passou a seguir foi que um dos meus amigos cinéfilos de infância, por volta de 1991 insistiu comigo em alugar o filme Death Wish IV, com o preço do aluguer pago a meias (ou seja a minha parte eram 125$00). Epá! Eu não queria nada gastar 125$00 para ver o filme, mas era justo, já que eu também o tinha "obrigado" a alugar a meias, filmes de ficção científica como o caso de um filme de viagens no tempo em que aparecia um helicóptero em combate aéreo com o Barão Vermelho da 1ª Guerra Mundial... :wink: O meu amigo não gostou nada desse filme e achou que era macacada e infantilidade... :lol: (não me lembro do título... alguém me ajuda a descobrir?).

Bem... Nesta altura ser cinéfilo significava meter o matacão do gravador VHS dentro da mochila, e levá-lo às costas para acoplar a outro gravador VHS, em casa de outro miúdo, antes que o pai chegasse do trabalho, e acho que esse meu amigo foi a correr com o vídeo às costas na mochila para copiar a cassete do Death Wish IV, eu disse-lhe logo que "não queria essa merda" mau-) Já agora eu devia ter 14 anos quando esta rábula se passou. :wink: Mas já não me lembro bem dos pormenores... Atenção que a troca de palavras "não quero essa merda" entre dois miúdos de 14 anos, não significava que o filme fosse merda, era apenas a nossa maneira de falar. oh-) ;-)

Já agora, quer esse meu amigo, quer o meu pai, ambos adoravam tanto a saga Death Wish, como a trilogia do Padrinho ou o filme Scarface. Eu não gosto nada desse estilo de filmes, mas não tenho nada contra o popularismo do Padrinho a nível mundial, reconheço que o filme tem qualidade e se querem dar nota 10/10 a ele, por mim tudo bem. salut-)


Parte II: Os estúdios de então e os remakes de agora

Esta saga envolve os míticos estúdios Dino de Laurentis (o primeiro filme da saga em 1974) e Cannon (Golan-Globus). Eu não pesquisei os permenores e detalhes, mas conheço em 1ª mão muitos dos filmes desses estúdios, por os ter alugado nos 80.

Nos anos 70 e 80 existia maior diversidade de estúdios na América, e por exemplo o estúdio Dino de Laurentis não estava sediado no estado da Califórnia e não fazia fisicamente parte do grupo de Hollywood, nesta época ainda não tinha ocorrido a crise dos últimos 20 anos, que mergulhou os estúdios de Hollywood na tal Idade das Trevas de que eu tanto gosto de falar e resmungar. Hoje em dia já não existe essa diversidade de estúdios americanos, e o que restam são estúdios que na sua maioria, fazem pouco da arte do cinema, geridos por fanáticos psicopatas, obcecados pelo lucro, e que consideram o espectador um atrasado mental, com isto não estou a postular que a Dino de Laurentis fosse um estúdio sério, até porque não era, mas ao menos criaram a obra-prima do Conan, O Bárbaro e com isso não se brinca! Um filme como o Conan, O Bárbaro, não poderia ser feito pelos estúdios americanos da actualidade, pois iriam logo impôr a tal fórmula previsível infanto-juvenil, e usar desenhos animados CGI, para poupar dinheiro e tornar o filme mais pobre. Já nos anos 80 a sequela do Conan, foi vítima de um psicopata gestor de estúdio, que deu ordens para tornar o filme "cómico e infantil", com o intuito de ganhar mais lucros com as crianças, lá com os cálculos financeiros da tal FÓRMULA.

Image

O estúdio Cannon ou Golan-Globus ainda era pior do que a Dino de Laurentis, mas li agora no wikipédia que ao menos ganharam o Óscar de melhor filme estrangeiro com este filme que não conheço:

https://en.wikipedia.org/wiki/The_Assault_%28film%29

Para mim a Cannon representa os filmes da trilogia Desaparecido em Combate, que acho que estão bem conseguidos e embora fossem considerados na altura filmes de acção da série B, já estou cansado de ver filmes muito piores a nível de enredo na corrida aos Óscares do século XXI, foi também a Cannon que produziu o filme insólito (e excelente) Runaway Train pelo realizador soviético Andrei Konchalovsky, que tinha sido galardoado em Cannes e na URSS, e que depois desertou para os EUA.

Eu acho que ambos estes estúdios são péssimos, mas nenhum deles me arrelia ou incomoda... na verdade até tenho algum carinho por eles. Mas quando penso nos estúdios de Hollywood da actualidade fico logo arreliado, por causa do fanatismo da tal fórmula repetiva, que estagna o progresso da 7ª Arte. Se calhar hoje em dia faz falta a existência de uma Dino de Laurentis, uma Cannon, etc. para colocar em cheque os abusos dos estúdios sobreviventes de Hollywood...

Aproveito e chamo agora a atenção para o Xploited Fórum, onde existe um tópico acerca de um documentário recente sobre a Cannon:

http://xploitedforum.vampire-legend.net ... ght=cannon

Eu por acaso gostaria de ver esse documentário... A editora Cannon é muito importante nesse fórum, e o administrador possui um canal do You Tube, onde ele compra cassetes VHS portuguesas dos anos 80, e coloca lá os trailers portugas da minha infância, digitalizados por ele, como por exemplo este filme da Cannon, de que gosto muito:



Eu já tinha falado com o Rui Santos, acerca da questão de falar do Xploited Fórum aqui no DVD Mania, mas acho que só agora surgiu uma situação interessante, que fica bem mostrar. Julgo que valerá a pena.


Quanto aos remakes... antigamente haviam remakes bons, feitos com juízo e em boa fé e eu vou já dar dois excelentes exemplos:

O primeiro exemplo é o "The Thing" do John Carpenter, o remake é excelente e muito melhor do que a versão original sci-fi série B de 1951. A ficção científica dos anos 50 era horrorosa e pobrezinha, mas por acaso o original de 1951 até era bastante jeitoso e eu diria que estava no topo 1% dos melhores filmes sci-fi dos anos 50. O que se passa é que (pelo menos para mim) o remake de 1982 é algo de genial e mítico, estilo o Alien e Aliens.

O segundo exemplo de remakes bons é ainda muito mais potente, trata-se do filme Paperhouse.



A minha crítica: viewtopic.php?f=11&t=47489&p=592054

Neste caso eu fui espreitar a versão original televisiva da BBC e acho que também li alguns trechos do livro. O que se passa é que o livro original foi escrito para crianças, sendo a adaptação da BBC fiel à infantilidade do livro. Quando um filme tenta adaptar um livro bom e trucida o enredo eu dou na cabeça ao filme... Aqui partimos de um livro infantil com um enredo sem qualquer interesse para um adulto, e o filme pegou no conceito base e inventou um enredo novo, muito interessante para adultos, e com um tratamento poético lindíssimo a nível audio-visual.

Agora eu acho que, essa onda dos remakes de Hollywood dos últimos 20 anos, são porcaria feita em má fé, com o intuito de intrujar os espectadores, por parte de produtores de estúdios estagnados, que contrataram realizadores zombies, que estão sob ordens para impôr o enredo fórmula nº3, sem qualquer relação com o filme original em que se baseiam. Não quer dizer que não possa vir a haver um remake entre mil sucatas, que venha a ter algum interesse, mas as probabilidades disso acontecer são muito baixas (entre 0,01 e 0,09 %).

E por agora é tudo... :-)))

Espero que ninguém se tenha chateado com algo que eu escrevi... :-?

Post Reply